sábado, 24 de julho de 2010

Paixão

Por que você fez isso comigo? Por que você jurou algo que não tinha a miníma capacidade de realizar? Como você pode ser tão cruél á ponto de apunhalar meu coração com jorros de estupidez e grosseria? Como eu pude um dia me apaixonar por uma pessoa tão diferente de mim? Teria eu caido na armadilha da paixão? Aquela que nós cega, que insanamente nos deixa?

Eu lhe enxergava tão diferente no primeiro dia, na primeira semana, considerava você um deus, colocava minha vida em jogo por você, você brincava comigo, me elogiava, mordia meu labio, saboareava a emoção de cada momento, me admirava, me fazia tão feliz, eu te elogiava á todos, era invejavél nosso relacionamento.

Mas, meu Deus, o que aconteceu com esse garoto? O que te fez mudar em apenas um mês? Borboletas que viviam no meu estomago foram mortas sem a luz do brilho do seu olhar e foi trancafiada nas trevas das suas palavras que me fez chorar escondida por tanto tempo. Descubri que foi paixão. Eu lhe amei tanto. Mas hoje vejo que estou num poço de ilusão.

Isso dói, isso é apaixão, e imperfeito. Não deveria se comparar: amor com paixão. E sim dividir.

Abro os olhos: você ainda esta em contato com a minha pele, ainda posso sentir seu gosto na minha lingua, posso sentir sua fragancia no ar, e toda sua refrescancia.Podia ver seu malicioso sorriso, a magnitude. Podia ser meu amante, podia ser meu par, podia ser o que quiser. Não sei definir o que é amor, e sim, pois você não foi capaz de me fazer descobrir qual é essa sensação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário