sábado, 30 de outubro de 2010

Trigo.

O trigo já se secou sob o intenso sol de verão, quando eu corro entre eles é possível ouvi-los ruidosamente quebrar-se.
O vento rápido e brusco brinca nas mechas do meu cabelo, fazendo-o voar delicadamente na direção oposta ao meu rosto, contornando minha face.
O vento brusco fez-me, sem querer, derramar á frente dele uma lágrima dolorida de despedida, que eu guardava por longos meses dentro dos meus olhos, que agora relatam sua covarde desistência.
A lagrima molhou o trigo seco.
Ele não se importou, seu escárnio típico permanecia á me fitar com desdém.
Olhando sua partida me sinto em casa, uma cena que eu já presumia e me preparava.
A esperança morreu.
De tantas lembranças, beijos e sonhos, a minha ultima lembrança será do trigo.
O som ensurdecedor que ele fazia ao caminhar em direção oposta á mim, pisando e quebrando os trigos e meu coração.


Não sou uma mulher inteligente.

Mais uma vez aqueles olhos castanhos estão me fitando graciosamente, sem perder o foco, viro-me para mexer no meu café, escondendo um sorriso gracioso na face para não fazê-lo se encorajar.
Aquelas pestanas escuras e marcantes escondem aqueles olhos castanhos sob a luz da fria lua, e cor-de-mel perante o intenso sol.
Sua fragrância é sentida á quilômetros de distancia á mim, de tão forte que está nossa sintonia, posso sentir seu coração radicalmente bater.
Levanto-me rapidamente, sem intenção de encará-lo mais ainda, ele já me machucou uma vez, não posso deixá-lo machucar-me magoar-me novamente (seria um desperdício com meus livro de auto-ajuda para fins de relacionamentos). Admito, não tenho coragem para encará-lo, muito menos para entrar em um flerte.
"Oh" é o que eu digo, quando percebo que derramei meu café adoçado sob meu vestido de bolinhas verdes e agora, marrons. Juntamente sujando o chão e corando minha face.
Oh não, ele se aproxima.
Oh não, não, ele está sorrindo.
É pior do que eu poderia ter pensado.
- Você nunca perdera seu jeito atrapalhado de ser - suas mãos me tocando causou-me um tremendo pavor, como se essa fosse a pior picada para o mais poderoso veneno: amá-lo.
Sorrio apavorada.
- Sorte que seu anjo sempre estará aqui para salvá-la.- ele sorri heroicamente.
Cafona. Mas que homem cafona mais belo, e que olhos castanhos brilhantes! Não, não, lembre-se dos livros de auto-ajuda. "As mulheres inteligente não permitem que os homens brinquem com o seu coração"
Ele me fita.
Não posso resistir àqueles olhos castanhos, aquele sorriso enorme e convidativo.
-Obrigada.- Digo encantada.
Não sua tola! Não se encante, lembre-se dos livros! Livros!
Sinto seu cheiro, ele penetra-se em mim, desperta-me lembranças do passado, beijos, doces, quanto amor.
-Theodoro, por favor. - e afasto suas mãos de mim.
- Sempre achei que você ficava linda nesse vestido.
-Obrigada. -encanto-me.
-Mais linda do que é, o que quase se torna impossível.
Abaixo os olhos por uma segundo, derrotada, as lágrimas podiam ser sentidas na minha íris, e lhe sussurrei:
-Sinto sua falta.
-Eu também.- Sua mão quente afagou a minha, ele levantou-se e piscou para mim. E foi embora.
Fito-o virando-se e saindo da cafetaria, seus cachos ainda são negros como a noite, medianos e belos.
E em apenas uma fração de segundo que eu pisquei, lá estava ela: loira, magra e bela, Clarice.
Ele lhe beija os lábios e segue seu caminho de mãos dadas com ela, sorrindo como se nada houvesse acontecido.
Não sou uma mulher inteligente.





Eu realmente li esse livro e agora ele não sai dos meus pensamentos: Os segredo das mulheres inteligentes - Steven Carter & Julia Sokol.

domingo, 17 de outubro de 2010

Transpareço

É tão triste não ter seus lábios junto aos meus, agora, há um cigarro substituindo-o. Ele é como você: uma substancia tóxica á mim.
Perdendo você de vista, em meio á neblina de fumaça que eu solto.
Sinto falta da minha mão acariciando sua pele macia, indo calmamente ao seu pescoço nu, até uma rápida corrida percorrendo suas largas costas; há uma taça substituindo-o. Estou tomando cada gole de uísque, esperando o fim da minha dor.
“Um brinde à falsidade que é o amor, ao vento, que sabe quão gelada estavam as gotas de álcool que descem pela minha garganta”.
Transpareço claramente o que sinto, meu esmalte preto escondem unhas roídas por ansiedade, por ver apenas um de seus falsos sorrisos.
Meu delineador marca bem meus olhos, por onde lagrimas caíram.
A única coisa que sou incapaz de mudar é meu coração, que ainda doi por você.

  I miss you.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

You love me.

Houve uma época que eu realmente acreditei que você me amava de verdade, que você escondia algo dentro de ti que eu conseguia ler em seus olhos, essa época é hoje.
Sei que você me ama, que sente a mesma intensidade de abstinência que eu, pois eu sempre estarei no fundo da sua mente, por mais que você se intoxique engolindo seu veneno e se divirta com ela, ela nunca conhecera sua historia, ela nunca saberá qual é seu sonho, que você sente falta do seu avô que morreu á um ano, que você escuta sertanejo, que você não sabe qual carreira seguir, que você já brigou por sua mãe, que você joga futebol ás quartas-feiras e não se importa de acordar de manhã, embora você seja mau-humorado com sono.
Você não sabe qual é a intenção dela, não sabe qual é o sonho dela, não a conhece como me conhecia, não sabe qual é a maior decepção dela, não sabe de que ela se envergonha e se suas bochechas coram, não conhece o significado de cada olhar dela.
Sei que isso é orgulho, sei que você é imaturo demais para ter uma relação tão intensa quanto eu mereço e lhe dei.
Olhe para os seios dela, se divirta agarrando suas pernas, balançando sua cintura, beijando seu pescoço e mordendo-a. Divirta-se a beijando escondido, divirta-se a beijando na minha frente, acariciando-a na minha frente, divirta-se enquanto tudo isso é uma ilusão e você está ingenuamente acreditando que sua vida será para sempre tão divertida e bacana.
Um dia você estará em casa e não terá nenhuma carta de amor para ler e relembrar dela, um dia você estará triste e não terá liberdade para desabafar com ela, um dia você precisara de um abraço caridoso ao invés de um beijo ardente e excitante, um dia você vai querer a opinião de qual faculdade cursar, e ela não te ajudará, pois ela não te conhece; um dia você estará se sentindo sozinho e ela não ira te preencher, pois o amor de vocês não é real. Um dia você precisara de alguém que te ame de verdade, mas será tarde, e eu não estarei lá.

I ♥ G

Musica ( agradeço á força que ela me deu): Kellie Pickler -  Best Days Of Your Life 

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Você foi embora.

Tudo que queria fazer, eu fiz.
Todos os planos que planejei, se concretizou.
Tudo que eu esperava aconteceu.
Então por que me sinto nessa abstinência absurda e nessa solidão incompreensível?
Me sinto assim pois tudo foi muito rápido e apressado, da mesma forma que eu quis que acontecesse antes da hora,  acabou-se tudo antes da hora. Talvez esse seja um castigo proposital que a vida me propôs por eu ser muito ansiosa e aprender á me controlar.
Sempre quis seu abraço e ouvir da sua boca um “eu te amo” dirigido para mim, o que aconteceu.
Sempre quis sentir seu cheiro e fazer com que ele se penetrasse em minha roupa, o que aconteceu.
Sempre quis poder desabafar com você toda minha raiva e ser totalmente sincera com você, mesmo que isso precisasse de um belo drama mexicano, o que aconteceu.
E a ultima coisa que eu quis muito é que você tivesse a consciência d a dor profunda que você me causou, sempre quis que você me visse chorando e então se desculpasse comigo, me abraçasse forte e me beijaria da forma mais carinhosa existente, como se fosse o nosso ultimo beijo, e então você secaria as lágrimas que sairiam incontrolavelmente dos meus olhos e diria que nunca mais vai me deixar chorar, nem por você e nem por ninguém, pois você iria cuidar de mim eternamente, e você não iria me ver chorando e ir embora, seguindo seu caminho como se o que aconteceu não tivesse ferido você.
O que não aconteceu. Você foi embora.

19:08        18/09/10      ouvindo: I don’t Love you – my chemical romance.


ps. escrevi esse texto em 18/09, porém, hoje eu odeio o destinario dessa carta que eu nunca entregarei.

domingo, 3 de outubro de 2010

3 semanas,

Estou orgulhosa de mim.
Há 3 semanas eu cresci mentalmente de uma forma tão instantanea que realmente, me assustou.
Minha obcessão por amor se esgotou, a vontade louca de ter um labio para beijar,  um olhar para fitar, basicamente me abandonou.
Em 3 semanas vi o quanto admiro o PC Siqueira, o tanto que amo o estilo da Hayley Williams, em 3 semanas cortei o cabelo em casa escondido, briguei com varias garotas, descobri que amo tomar café, porém não sei tomar sem queimar a língua; descobri que suéter é a peça mais elegante do inverno (tirando o sobretudo), me reformei.
Em 3 semanas, esqueçi qual era seu cheiro, a cor exata dos seus olhos, a gravidade em que me encontrava ao te beijar, do seu filme favorito, dos seus sonhos, do seu gosto.
Veja só, pareçe que o mundo deu sua merecida volta, e quem está com um enorme sorriso na face sou eu, vendo você se intoxicando com suas vadias e perdendo sua identidade nas suas repugnantes mentiras. É você que me olha tão intensamente amargurado com uma ponta de lástima em seus falsos sorrisos.
Por fim, você que sempre odiou meu jeito meigo e inocente, conseguiu me transformar num ser independente, objetivo, calculista, e assim eu conseguiu acabar com seu fim de dignidade em alguns dias, ofendendo seu pensamento dominador, achando que eu me arrastejava aos seus pés.
Namorado que já foi meu, hoje pode ser de quem  quiser, já foi toalha do meu rosto, porém hoje é tapete do meu pé.
Agradecida, G.