sexta-feira, 6 de maio de 2011

Outono de lírios

Cansei de fantasiar, vou tomar uma atiude: vou escrever.
Escrever utopias, dialogos, descrever cenas e beijos. Descrever todas as minhas fantasias, toda a intensidade, vou escrever sobre você, o que me encanta e o que me revolta.
Em minhas palavras, haverá sonhos, fantasias, palavras, frases, cenários diferentes, mas sempre haverá algo padrão: você.
Você é meu protagonista, a droga que me anestesia para viver essa dolorida vida, a minha escapatória em um mundo desinteressante, a luz que me ilumina diante uma escuridão traiçoeira.
Como meu protagonista, você terá a chave para meu mundo, para a coisa mais valiosa para mim: minha palavras...Elas são suas, elas são você, você é meu, eu sou sua.
Minha vida estava tão perdida, vagando entre noites de insônia e poema vazios, você, como a noite, encheu de estrelas o manto negro que cobria minha vida.
Tenho medo dos meus impulsos, tenho medo da intensidade dos meus sentimentos e palavras, tenho medo da sua rejeição, mas maior do que meu medo, é a vontade de te ter.
Traga teus lírios, pois o diante ao meu outono de flores e folhas secas, sei que haverá seus lirios para me salvar.
Venha Leonard,

Nenhum comentário:

Postar um comentário